Listas telefônicas em papel, chips importados, grupos segmentados e hibridismo entre militantes e disparadores pagos. Essas foram algumas das estratégias utilizadas pela campanha de Jair Bolsonaro (PSL) para criar sua extensa rede de comunicação paralela via WhatsApp.

Eu até que recebo poucas mensagens encaminhadas pelo Whatsapp. Dessas, que você percebe logo de cara que se trata de fake news. A maioria, recebo do meu pai. De quem ele recebe? Bem, talvez de um tio meu do PR, ou de outro de SP, ou de um primo de SC. É difícil, praticamente impossível determinar a origem das mensagens. A maioria tem tom ameaçador, normalmente contra o PT. Por algum tempo, fiquei imaginando como tantas pessoas se dedicam tanto tempo, não para compartilhar, mas para criar essas mensagens. Agora dá pra começar a entender um pouco mais.

Como funciona a máquina de WhatsApp que pode eleger Bolsonaro