Carta aberta em apoio à Democracia

Há tempos estamos vivendo uma profunda crise nos poderes representados, não somente no Brasil, mas em vários países. O que vemos no mundo inteiro, é a chegada ao poder de líderes que defendem ideias que representam o retrocesso no diálogo e na deturpação dos valores do Evangelho. Assim tem sido nos Estados Unidos com Trump, na Argentina com Macri, na França com Macron, dentre outros. No Brasil, é crescente a difusão de falas autoritárias e até mesmo totalitárias, por um candidato que vem sistematicamente, desrespeitando os Direitos Humanos, com discursos que ferem a diversidade de nosso país, com exaltação à tortura e de seus praticantes em um período sombrio de nossa história, com extrema e pública desconsideração das conquistas sociais e trabalhistas, e com, um discurso inflamado de ódio contra os que ele julgam “diferentes”, e o mesmo se proclama como a única solução possível.

Para além desse discurso, esse candidato propõe ações “aventureiras”, baseadas em um plano de governo completamente pífio e sem embasamento, apoiando-se no crescente descrédito que o povo tem com a nossa classe política. Como exemplo podemos citar seu plano econômico, que consiste simplesmente de vender o patrimônio público para pagar a dívida, sem no entanto discorrer como irá proceder para combater o endividamento público. Além disso, o candidato por meio de seu assessor econômico, propõe um imposto de renda único para toda faixa de renda, independente se o contribuinte é trabalhador, grande empresário ou rentistas, o que é claramente um desastre do ponto de vista fiscal, visto que vai penalizar os que recebe menos e beneficiar os que têm muito.

A história tem mostrado que, por conta desse vazio de representatividade, abre-se o espaço para o fascismo e outras ideias reacionárias. Como defensores da paz e da justiça social e da democracia plural, entendemos que há uma candidatura que representa um grave perigo ao Estado Democrático de Direito, à economia e à educação da nação, visto que o seu discurso só exalta o ódio contra as minorias e também aos que pensam diferente, o que é totalmente contrário ao que ensinava o nosso mestre Jesus em Mateus 5:44 “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus.” Entretanto, ainda que o candidato se auto-declare cristão, filiado a um partido também cristão, suas ações e intenções são completamente contraditórias e incompatíveis aos princípios que regem a fé cristã. Esconde-se atrás da slogan “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos” ao mesmo tempo em que faz, sem nenhum constrangimento, afirmações públicas como: “pau-de-arara funciona. Sou favorável à tortura, tu sabe disso. E o povo é favorável também”; “sou a favor, sim, a uma ditadura, a um regime de exceção”; “ele (um índio) deveria comer capim ali fora para manter as suas origens”; “não empregaria [homens e mulheres] com o mesmo salário”; “o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriadores servem mais”; “Seria incapaz de amar um filho homossexual”.

Nós como parte de grupo de Presbiterianos Independentes, da 1ª Igreja Presbiteriana Independente de Sinop-MT, repudiamos toda forma de autoritarismo, fascismo e negação de Direitos Humanos. Que a paz de Deus e com a ajuda do Espírito Santo, enfatizamos nossos esforços para sempre afirmar e agir na direção do/a outro/a, respeitando as diferenças e rejeitando toda cultura de ódio, intolerância e discriminação.

Sinop, 25 de outubro de 2018
Assinam esta carta:

Adriana Lins Precioso
Ana Lúcia Ponciano Ribeiro
Anderson Cardoso Ribeiro
Caroline Mari de Oliveira Galina
Daniel Valim
Maria Helena Kanashiro Ogawa
Mario Perez
Rui Ogawa
Sandra Donato

Entre na discussão