Sobre a Democracia Corinthiana e as eleições

Sou corinthiano desde criança. Da minha família, sou o único. O que me atraiu no clube? Eu achava interessante aquela coisa da “massa”, de um time da multidão. Aos meus 10 anos de idade, eu assistia na TV jogadores da era do “Esquadrão mortal” como Biro Biro, Casagrande, Sócrates, Wladimir e Zenon.  Era uma equipe incrível. Me chamava a atenção também as comemorações de Sócrates, sempre com o punho cerrado. Mais tarde, vim a compreender o que era a Democracia Corinthiana e o amor ao clube se consolidava.

Nestas eleições de 2018, muitas torcidas organizadas de vários clubes se posicionaram em favor do candidato Fernando Haddad, num gesto em defesa da democracia. Claro, as torcidas do Timão também estavam lá. Tivemos também algumas declarações do Chico Malfitani, fundador da Gaviões da Fiel, a maior torcida organizada do Corinthians, sobre o assunto.

Então, caro torcedor, se você é corinthiano e não entendeu isso, você não entendeu nada.

Entre na discussão