DigitalOcean + Docker + Traefik + Adminer

Eu fiquei um tempão sem Blog. Na verdade talvez mais de um ano. Pra ser sincero, nem lembro quanto tempo fiquei sem. Os últimos três anos no mestrado me tomaram todo o tempo. Tanto que eu esqueci de pagar meu domínio, ele foi suspenso e tive que comprar novamente. Ah, por falar em comprar domínio, comprei o meu avulso, sem hospedagem, na NameSilo. Mas sobre isso eu falo em outro post.

A questão é que minha hospedagem da WebLink também vai vencer este ano e eu não estava afim de renovar. Explico: é um plano compartilhado, com o basicão de LAMP. Eu to estudando Ruby on Rails e queria um lugar pra testar minhas coisas e, de repente, até colocar algo em produção. Cheguei a testar o OpenShift, da RedHat, mas o plano gratuito deles me pareceu instável e o pago, achei caro demais.

Lembrei do bom e velho Digital Ocean. Fui lá ver como estavam os valores e configurações e decidi me cadastrar. Na verdade eu já tinha cadastro, mas fazia tanto tempo que esqueci login, senha, tudo. Melhor fazer uma conta nova. Bem, aí vieram os problemas. Depois de pagar os 5 dólares e me cadastrar, ao logar na minha conta, o sistema dizia que estava efetuado verificação e com isso eu não conseguia criar meu Droplet.

Enviei um Tweet pro suporte, que me pediu pra enviar uma DM com o ticket. Bem, eu não tinha esse ticket. Depois de um tempão caiu a ficha que eu tinha que abrir um ticket novo. Questão de minutos depois já estava tudo funcionando. O suporte da DO é show!

No começo eu estava procurando algum CMS feito em Ruby, chegando a instalar e testar o Camaleon, mas com o WordPress tão consolidado e com tantos plugins e temas prontos e gratuitos, fui para o lado negro da força.

Os procedimentos que segui para subir esse ambiente são os descritos neste tutorial, intitulado How to Use Traefik as a Reverse Proxy for Docker Containers on Ubuntu 16.04.  Está em inglês, mas maravilhosamente bem explicado. Se você não conhece alguns dos componentes usados, vale a pena dar uma visitada nos sites dos projetos pra entender melhor.

Basicamente temos o seguinte:

  • Docker: conteinerização de aplicativos, permitindo você possa fazer o deploy de vários sistemas web no mesmo host, de forma muito rápida. Há conteiners prontos pra tudo o que você imaginar.
Diagrama de funcionamento do Docker
  • Traefik: é um proxy reverso voltado, mas não específico para Docker. Além de fazer o proxy reverso, recebendo chamadas externas e distribuindo entre as várias aplicações conteinerizadas no Docker, o Traefik também conta com um sistema de monitoramento.
Funcionamento do Traefik
  • Adminer: nada mais é do que um substituto ao PHPMyAdmin bem mais leve e cheio de recursos

De modo geral, estou bem satisfeito com a solução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *